Lampião marcará governo FHC, diz Itamar

O governador de Minas, ItamarFranco (PMDB), disse hoje, em Juiz de Fora, durantelançamento da pedra fundamental de uma termoelétrica daCompanhia Força e Luz Cataguases-Leopoldina, que, se seu mandatona Presidência foi marcado e ironizado pela iniciativa derelançar o Fusca, a atual administracão federal será conhecidacomo "o governo do lampião". "O meu governo foi zombado por causa do Fusca, mas olampião tornou-se o símbolo do atual governo", disse. Pré-candidato à Presidência da República, Itamar tambémvoltou a fazer críticas ao governo de Fernando Henrique Cardoso,a quem acusou de imprevidência e de ter inteira responsabilidadepela crise energética. Também repetiu que, em Minas, só haverácobrança de sobretaxa nas contas de luz e cortes de fornecimentode eletricidade mediante determinação do Supremo TribunalFederal (STF). "Minas só vai cobrar a sobretarifa se o SupremoTribunal obrigar o governo mineiro a fazer isso", acrescentou.Para o governador, "quem deveria pagar o tarifaço é o própriogoverno federal, que salvou banqueiros criando o Proer, comprejuízos à naçao da ordem de R$ 60 bilhões". Na solenidade de início das obras da termoelétrica, cujocusto é R$ 120 milhões e a capacidade é suficiente para iluminar340 mil moradias - as operações devem começar em outubro -,Itamar, que já inaugurou construções de quatro usinas, desde oinício da crise, insistiu também que Minas está dando um exemplopara o País. "Estamos construindo oito usinas, coisa que nenhumoutro Estado está fazendo", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.