Lago de Furnas recebe dejetos de 34 cidades

O esgoto produzido pelos cerca de um milhão de habitantes das 34 cidades que integram a Associação dos Municípios do Lago de Furnas (Alago) é atirado, sem tratamento, no Lago de Furnas. O principal objetivo da entidade, hoje, é implantar um projeto integrado de tratamento de esgotos, captação de águas pluviais e abastecimento de água desses municípios, que interromperia a poluição de seu mais importante manancial turístico. O projeto está orçado em R$ 180 milhões, e depende de recursos do Ministério do Meio Ambiente.Outros projetos importantes para a região têm recebido apoio da Furnas Centrais Elétricas, como a manutenção e construção de estradas, pontes, sistemas de drenagem, além de outras ações. De acordo com o consultor da empresa, Moacyr Ferreira Nunes, o Projeto de Atendimento da Superintendência de Empreendimentos de Geração de Furnas é estratégico já que, a partir da água desse reservatório, alimentada pelas bacias dos rios Grande, Sapucaí e Verde, é gerada a energia de cinco usinas da empresa, instaladas Rio Grande abaixo, responsáveis por uma potência total de 5.552 megawatts. ?Queremos incrementar a parceria entre Furnas e os municípios que dependem do lago?, afirma José Rogério Lara, prefeito de Guapé e presidente da entidade. ?O fechamento das comportas, na década de 60, nos trouxe prejuízos sociais e econômicos. Agora que aprendemos a conviver com o lago, devemos transformá-lo em fator de desenvolvimento. É por isso que não admitimos falar em privatização de Furnas.? O sudoeste de Minas está unido nesse objetivo. Uma manifestação organizada pela Alago e outras entidades reuniu em Furnas, no dia 1º de maio, cerca de 12 mil pessoas de várias cidades da região, com a presença do governador do Estado, Itamar Franco, além de prefeitos, lideranças políticas e diversas entidades, para protestar contra os planos de privatização da empresa.Leia também:O terceiro sacrifício de Guapé, a cidade afogadaReservatório fornece água para oito hidrelétricasBalneários próximos a Furnas perdem sócios

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.