Lacerda se consolida e pode vencer no 1º turno

Ibope indica 54% dos votos válidos para petista em BH

Carlos Marchi, O Estadao de S.Paulo

27 de setembro de 2008 | 00h00

Se a eleição para prefeito de Belo Horizonte fosse agora, o candidato Márcio Lacerda (PSB) venceria no primeiro turno, atesta pesquisa Ibope contratada pelo Estado e pela TV Globo concluída ontem. Lacerda atingiu agora os 45% e lidera com ampla margem, apesar de o segundo colocado, Leonardo Quintão (PMDB), ter subido 9 pontos porcentuais em duas semanas, chegando aos 20%. Como o conjunto de eleitores indecisos, mais os que prometem votar em branco ou nulo somam 17%, ele teria 54,2% dos votos válidos - pela primeira vez, acima da margem de erro para vencer no primeiro turno. Lacerda oscilou 3 pontos para mais, desde a última pesquisa, há duas semanas.Quintão desbancou do segundo lugar Jô Moraes (PC do B), que liderou a corrida no começo da campanha e agora tem 13%. Em duas semanas, ele conseguiu uma ascensão expressiva em todos os segmentos de renda: subiu 12 pontos porcentuais entre os que ganham mais de 5 salários mínimos (de 10% para 22%), 10 pontos (de 12% para 22%) entre os que ganham entre 2 e 5 salários e outros 6 pontos (de 11% para 17%) entre os que ganham até 2 salários mínimos.Até então, a campanha de Quintão vinha sendo irregular. Na primeira pesquisa Ibope contratada pelo Estado e pela TV Globo, ele apareceu com 14%; na seguinte, caiu para 10%; depois, oscilou para 11%, e agora deu um salto para 20%.Nas simulações de segundo turno feitas pelo Ibope, Lacerda bate facilmente seus dois mais próximos perseguidores. Ele venceria Jô por 52% a 21% (48% a 20% na rodada anterior) e superaria Quintão por 49% a 26% (47% a 20% na pesquisa anterior). Num pouco provável embate entre Quintão e Jô, o primeiro venceria por 37% a 25%.Lacerda, que começou a campanha com um dígito de intenção de voto, já pode dizer que se tornou conhecido do eleitorado de Belo Horizonte - ele é citado por 40% na pesquisa espontânea (na qual o eleitor diz o nome de seu candidato sem receber nenhum estímulo). Na espontânea, Quintão aparece com 16% e Jô, com 11%.Lacerda tem desempenho equilibrado entre os segmentos de renda e escolaridade. Tem 43% entre os eleitores que completaram o ensino superior, 45% entre os que têm ensino médio, 46% entre os que estudaram da 5ª à 8ª série e 46% entre os que cursaram só até a 4ª série do ensino básico.A performance se repete nos segmentos de renda. Ele alcança 44% entre os que ganham até 2 salários mínimos, 46% entre os que auferem entre 2 e 5 salários e 43% entre os que recebem mais de 5 salários.Outro fator que consolida a trajetória de Lacerda rumo à vitória no primeiro turno é que ele tem baixa taxa de rejeição - apenas 10% dos eleitores afirmam que não votariam nele de jeito nenhum. Seus principais concorrentes também não sofrem nesse quesito: Quintão tem rejeição de 6% e Jô Moraes, de 12%.A força que catapultou Lacerda para a liderança em poucas semanas está na avaliação da gestão de seus padrinhos políticos. O governador Aécio Neves (PSDB) tem avaliação positiva de 86% - apenas 3% lhe dão avaliação negativa. O prefeito Fernando Pimentel (PT) tem avaliação positiva de 84% e negativa de 3%. Frente aos dois, a avaliação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva - positiva para 63% e negativa para 8% - parece secundária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.