Lacerda diz à PF que analisou dados sobre Dantas

O delegado Paulo Lacerda, ex-diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), admitiu que ?fez uma análise? de documentos reunidos por agentes da Abin na investigação contra Daniel Dantas. Lacerda disse que fez pedidos por Protógenes Queiroz perante a cúpula da Polícia Federal a fim de obter apoio logístico para a Operação Satiagraha. Em depoimento de 15 páginas no inquérito que investiga vazamento de dados secretos da operação, Lacerda declarou ter ido ao diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, para falar sobre ?a possibilidade da melhoria das condições de trabalho? da equipe de Protógenes, mentor da Satiagraha.

AE, Agencia Estado

19 de março de 2009 | 08h29

O relato de Lacerda à PF, instituição que dirigiu durante mais de 5 anos, ocorreu na segunda-feira. Ele contou que, em fevereiro de 2008, quando já dirigia a Abin, Protógenes lhe pediu ?apoio de oficiais de inteligência?. O delegado disse que ?de pronto concordou, porque já era sua pretensão uma maior integração dos trabalhos da Abin com a PF?. À CPI dos Grampos Lacerda informou sobre o engajamento de apenas ?4 a 6? agentes na Satiagraha. Na PF, ele disse que ?esse era o conhecimento que tinha, somente depois é que tomou conhecimento da existência de outras equipes da Abin?. A PF apurou que 84 agentes atuaram na Satiagraha.

Ele afirmou que ?esse apoio não constituía prioridade da Abin, a diretoria estava empenhada em várias outras questões, inclusive com frequentes reuniões com altas autoridades do governo que resultaram na edição de medidas provisórias e decretos pelo presidente da República?. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
SatiagrahaPFPaulo Lacerda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.