Laboratório culpa químico por contaminação de Celobar

O diretor do Laboratório Enila, Márcio Icarahy, responsabilizou o químico da empresa, Antônio Carlos Fonseca, pela possível contaminação do medicamento Celobar, em depoimento na Delegacia de Repressão a Crimes contra a Saúde Pública. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) investiga a morte de duas pessoas que usaram o remédio antes de se submeterem a exames de radiografia.Icarahy disse que o químico fez experiências com carbonato de bário, transformando-o em sulfato de bário. Depois de manipular o produto químico, ele teria esquecido de lavar a bomba que foi utilizada em seguida para enviar o Celobar ao setor de envase. O químico Antônio Carlos Fonseca é aguardado para prestar depoimento hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.