Kirchner disse a Lula que, se eleito, priorizará Mercosul

O candidato à presidência da Argentina Néstor Kirchner disse hoje, ao deixar o Palácio do Planalto, onde se reuniu com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, se eleito, pretende priorizar a consolidação do Mercosul e deixar as discussões sobre a Área de Livre Comércio das Américas (Alca) para mais adiante. "Nós estamos priorizando a construção de uma estratégia de reconstrução do Mercosul, a integração econômica, política e social dos países da América do Sul", afirmou. Kirchner disse que conversou muito pouco sobre a Alca com Lula. "Falamos de uma agenda muito ampla, principalmente da política de inter-relação e do que aconteceu com o Mercosul na última década", afirmou, "Também falamos sobre a possibilidade de ampliar as relações comerciais", acrescentou. Para Kirchner, o apoio do presidente Lula à sua candidatura é "importante". Segundo ele, todos os argentinos querem aprofundar as relações com o Brasil. Na opinião do candidato ao governo argentino, Lula teve a "generosidade" de aprofundar as relações com a Argentina, antes do término do processo eleitoral naquele país. "A conversa não foi sobre quem vai ou não vai ganhar, mas uma relação institucional." Ele aproveitou para alfinetar o outro candidato à Presidência, com quem disputará o segundo turno, Carlos Menem. "Não falamos de Menem. Falamos das coisas importantes, de temas que preocupam a nós dois."

Agencia Estado,

08 de maio de 2003 | 14h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.