Kassab vê inclusão de nome na 'lista suja' com naturalidade

Ele é co-réu em ação civil pública em que é acusado de improbidade administrativa na gestão de Celso Pitta

REUTERS

30 Julho 2008 | 17h10

O prefeito de São Paulo e candidato Gilberto Kassab (DEM) afirmou nesta quarta-feira que recebeu com naturalidade a notícia da inclusão de seu nome  na lista dos candidatos às eleições municipais que respondem a processos judiciais divulgada pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).   Veja também: PT entra com representação contra candidatura de Kassab Prefeito usou subprefeituras para influenciar pesquisa Conheça os candidatos nas principais capitais  Calendário eleitoral das eleições deste ano  Especial tira dúvidas do eleitor sobre as eleições    Veja as regras para as eleições municipais "Vejo com muita naturalidade, tenho respeito. Mas a partir do momento que a AMB faz a lista é importante que as pessoas identifiquem o que é o caso e, no meu caso, eu fui absolvido por unanimidade", disse o prefeito após vistorear as obras de reforma da Biblioteca Mario de Andrade, na região central. De acordo com a associação nacional de juízes, Kassab é co-réu em ação civil pública em que é acusado de improbidade administrativa na época em que era secretário do ex-prefeito Celso Pitta (1997-2000). Kassab foi condenado em primeira instância e absolvido pelo Tribunal de Justica, mas o Ministério Público recorreu. Kassab foi incluído na chamada "lista suja" na terça-feira, uma semana depois da divulgação do levantamento original. De acordo com a AMB, a demora se deveu à falta de informação por parte do Tribunal de Justiça em relação ao processo do prefeito. A primeira lista trazia 15 candidatos a prefeito que respondem a processos, entre eles Marta Suplucy (PT) e Paulo Maluf (PP), concorrentes de Kassab na disputa pela prefeitura de São Paulo. Houve críticas de candidatos e juristas alegando pré-julgamento dos políticos em ações que estão em andamento e não têm sentença final. Antes de ter o nome na lista, a campanha de Kassab mandou imprimir folhetos citando a inclusão de Marta. Em seu site de campanha (www.kassab25.com.br) o prefeito faz referência à citação a seu nome na lista. O texto afirma que a inclusão é "injusta", já que ele foi absolvido. "O recurso movido pelo Ministério Público não tem efeito suspensivo", defende-se.

Mais conteúdo sobre:
ELEICOES SP KASSAB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.