Kassab quer que mais 7 projetos sejam votados logo

Líderes do 'centrão' e do PT querem que o governo sancione pelo menos um projeto de cada bancada

AE, Agencia Estado

04 de dezembro de 2008 | 08h52

Além da isenção do Imposto Sobre Serviços (ISS) para autônomos, cuja anistia fiscal estimada pela Secretaria Municipal de Finanças é de R$ 25 milhões, a gestão Gilberto Kassab (DEM) apresentou na quarta-feira outros sete projetos para tentar votar nas próximas duas semanas, antes do recesso do fim de ano. Para votar os projetos do Executivo, os líderes do "centrão" e do PT querem o compromisso do governo em sancionar pelo menos um projeto de cada bancada.Apenas um projeto foi aprovado ontem sem o acordo. A cessão de uma área da Prefeitura para a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) passou por votação simbólica. No pacote de projetos, o governo ainda quer conceder em definitivo ao Mackenzie uma área pública utilizada há mais de cinco décadas, e estabelecer a isenção do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) a clubes da primeira divisão. A isenção do ISS para as empresas que se instalarem na região chamada Nova Luz, no centro, e a licença-maternidade de seis meses para as servidoras municipais também estão no pacote.Após reunião, PT e "centrão' prometeram obstruir a pauta do governo. "São projetos de interesse da cidade, não tem motivo a obstrução", criticou Carlos Apolinário (DEM), da base governista. Mesmo após a obstrução, os governistas ainda tentaram um acordo com a oposição, com a intermediação do presidente da Câmara, Antônio Carlos Rodrigues (PR). "Não há acordo para votar nada com um governo que joga para a Câmara a responsabilidade de cortar R$ 2 bilhões do Orçamento", discursou Paulo Fiorilo (PT). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
PrefeituraSão PauloGilberto Kassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.