Kassab quer criar instituto com nome de JK

Prefeito disse que pediu a autorização da família do ex-presidente para fundar entidade

Daiene Cardoso, da Agência Estado,

24 de março de 2011 | 17h32

SÃO PAULO - O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, de saída do DEM para recriar o Partido Social Democrático (PSD), disse nesta quinta-feira, 24, que pediu a autorização da família do ex-presidente Juscelino Kubitschek para fundar uma entidade com seu nome.

Kassab negou que tenha se apropriado do domínio na internet www.JK.org.br. "Falei com a filha do Juscelino. Caso tudo dê certo, disse que iríamos consultá-la para ver se a família liberaria a marca. É apenas uma reserva de domínio para uma fundação. A ideia é homenagear o Juscelino dando o nome dele à fundação", afirmou o prefeito após almoço da Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil, na capital paulista. Kassab não detalhou o projeto.

Na segunda-feira, 21, ao lançar a nova sigla, Kassab disse que a escolha do PSD era uma homenagem ao ex-presidente por sua administração desenvolvimentista na década de 1950. A legenda que o prefeito pretende recriar surgiu em 1945 e abrigou os ex-presidentes JK e Eurico Gaspar Dutra. Foi extinto durante a ditadura e recriado na década de 1980. Em 2003, foi incorporado ao PTB, que agora ameaça questionar o uso da sigla.

Durante o almoço, Kassab foi questionado por empresários sobre os motivos de sua saída do DEM. O prefeito relembrou a história do DEM (ex-PFL) e sua importância pela redemocratização do País. "Mas foi um partido que no decorrer do tempo foi perdendo o rumo", justificou. Segundo Kassab, o novo PSD surge como uma legenda "conciliadora" e o projeto tem sido "bem recebido pela sociedade". "Criar um novo partido é uma demonstração de brasilidade e coragem. Isso fortalece muito nossa democracia", elogiou o presidente da Câmara Portuguesa, Manuel Rodrigues Tavares.

O prefeito também foi indagado sobre questões relativas à administração da cidade, entre elas o recente reajuste da tarifa de ônibus. Kassab disse que a passagem na capital paulista é a mais barata do Brasil. "São Paulo tem a tarifa mais baixa do Brasil pelo uso de bilhete único", respondeu. Com um discurso voltado para o "social", o prefeito afirmou que, ao invés de dar subsídios para evitar o aumento da tarifa, ele prefere investir em saúde, educação e metrô. "Teremos a oportunidade de melhorar o transporte público em São Paulo", prometeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.