Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Kassab pede análise do contrato da Finatec

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), pediu hoje à corregedoria do município que instaure processo na Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), para examinar contrato realizado com a Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), ligada à Universidade de Brasília (UnB), que está sob intervenção por práticas irregulares.Em comunicado ao corregedor, Kassab informa que é inadmissível que um órgão municipal contrate uma fundação que já é considerada inidônea pelo próprio Executivo municipal. "O secretário de Assistência e Desenvolvimento Social errou ao contratar essa entidade. As notícias mais recentes da imprensa só vêm a comprovar a inidoneidade detectada por esta administração já desde os seus primeiros dias", diz o prefeito por meio de nota à imprensa.A Finatec é acusada de práticas irregulares em contrato firmado com a municipalidade na gestão anterior, quando foi contratada para assessorar a instalação das subprefeituras. Edição desta semana da revista Época informa que a Finatec teria sido contratada em 2003 para melhorar a gestão da secretaria que coordena o trabalho das 31 subprefeituras do município de São Paulo.Ainda segundo o semanário, dos R$ 12,2 milhões previstos no acerto, a prefeitura teria pago R$ 9,3 milhões até 2004 - dos quais R$ 4,49 milhões teriam sido transferidos para o caixa do consórcio Intercorp/Camarero & Camarero, pertencentes ao casal Luís Antônio Lima e Flávia Maria Camarero. José Serra (PSDB), que assumiu a prefeitura no ano seguinte, teria suspendido o pagamento dos R$ 2,8 milhões que faltavam. A reportagem da revista diz, ainda, que a Finatec, no papel, prestava assessoria gerencial, mas quem recebia pagamentos na ponta, pelos serviços realizados, era a Intercorp e a Camarero & Camarero.Em nota à imprensa divulgada hoje, a prefeitura de São Paulo informa que o relatório das irregularidades constatadas foi encaminhado ao Tribunal de Contas do Município e ao Ministério Público Estadual. A Prefeitura pede a devolução dos valores pagos. Kassab determinou que até o fim da análise da Corregedoria não sejam feitos pagamentos referentes ao contrato de SMADS com a Finatec.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.