Kassab pede ajuda a tucanos que têm cargo na prefeitura

Ele quer que subprefeitos ligados ao PSDB trabalhem por sua candidatura

Silvia Amorim e Roberto Almeida, O Estadao de S.Paulo

25 de junho de 2008 | 00h00

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), pediu a subprefeitos ligados ao PSDB, partido do seu principal adversário na eleição, o ex-governador Geraldo Alckmin, que trabalhem para sua campanha, em suas respectivas regiões. Cientista político da FGV analisa PSDB pós-convenção Guia do eleitor esclarece dúvidas sobre o pleito deste ano Multimídia: Calendário traz as principais datas da eleição O pedido foi feito na sexta-feira passada - dois dias antes da convenção tucana, que confirmou Alckmin na disputa -, numa reunião com subprefeitos da zona sul da cidade. Seis das nove subprefeituras da região são administradas por tucanos. No encontro, Kassab fez a proposta, mas disse que aqueles que não se sentissem à vontade para atuar na campanha, fora do horário de expediente, poderiam indicar outra pessoa.Filiados do PSDB e do DEM vivem um dilema na cidade. Parceiros na prefeitura, subprefeitos e secretários ainda não definiram como vão conciliar o palanque de Alckmin e o de Kassab. A única decisão é que não deixarão o governo municipal.O prefeito negou ontem que tivesse feito o convite aos subprefeitos. "Jamais pediria a alguém da máquina para trabalhar por mim ou por qualquer candidato. O que foi feito foi uma recomendação para que pessoas em horário de expediente não trabalhem em campanha." Kassab está de olho nos subprefeitos para fazer a articulação do apoio político a ele entre as lideranças locais.O convite foi relatado anteontem, numa reunião entre o secretário municipal de Coordenação de Subprefeituras, o tucano Andrea Matarazzo, e os subprefeitos do PSDB - das 31 subprefeituras, 21 estão nas mãos do partido. Não houve nenhuma decisão sobre o comportamento a ser adotado.A reunião foi realizada a pedido do governador José Serra (PSDB), preocupado com uma debandada de tucanos do governo Kassab. Matarazzo disse aos subordinados que Serra não quer "desmonte". E repassou pedido de Kassab para que todos continuem em seus cargos.Depois que a convenção do PSDB confirmou Alckmin como candidato a prefeito e sem uma orientação clara sobre como agir , alguns subprefeitos estavam cogitando entregar o cargo. Dois deles, ligados a Alckmin, já tinham saído antes mesmo da convenção. Por isso Matarazzo organizou a reunião e ficou decidido que ninguém precisará deixar a prefeitura.BAIXAMas a disputa eleitoral provocará pelo menos uma baixa na equipe do governador Serra. O secretário do Trabalho, Guilherme Afif Domingos, confirmou ontem que deixará a pasta até o início de julho para coordenar a campanha de Kassab.O secretário estadual de Relações Institucionais e presidente municipal do PSDB, José Henrique Reis Lobo, também pode se afastar. Ele foi convidado por Alckmin para comandar a campanha tucana.Lobo, entretanto, tem relutado em aceitar. Sua relação com aliados do ex-governador estaria estremecida depois de diversas discussões ásperas no processo tumultuado para escolher Alckmin como candidato. Lobo não foi localizado para comentar o convite.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.