Kassab pára de subir e 2º turno segue indefinido

Pesquisa mostra empate com Alckmin

Daniel Bramatti, O Estadao de S.Paulo

19 de setembro de 2008 | 00h00

Depois de subir cinco pontos em duas semanas, o candidato do DEM à Prefeitura de São Paulo, Gilberto Kassab, se estabilizou e permanece empatado com Geraldo Alckmin (PSDB) na disputa por uma vaga no segundo turno com a petista Marta Suplicy, segundo a última pesquisa Datafolha. Especial: confira o perfil de todos os candidatos Blog: as principais propostas dos candidatos em SP Guia: Tire suas dúvidas sobre as eleições de outubro A intenção de voto no atual prefeito e candidato à reeleição oscilou de 21% para 22% desde o dia 12. O apoio a Alckmin passou de 20% para 22%, dentro da margem de erro da pesquisa, de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. Marta continua na liderança, com 37% - o mesmo índice alcançado no levantamento anterior.As simulações de segundo turno mostram a candidata do PT em situação de empate técnico com os dois potenciais adversários. Contra Kassab, Marta teria 46% a 45%. Uma eventual disputa com Alckmin resultaria em 47% contra 47%. A pesquisa, encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo, foi divulgada ontem à noite pelo SPTV.No final de julho, o candidato do PSDB tinha 32% das intenções de voto. Do início do horário eleitoral gratuito até a semana passada, só caiu ou oscilou negativamente. Sua estabilização agora coincide com uma mudança no programa de TV e, principalmente, no discurso, mais agressivo.No início, Alckmin deu à sua propaganda um tom propositivo, mas também procurou mostrar problemas em áreas sensíveis da prefeitura, como a saúde. Foi o que bastou para que setores de seu próprio partido protestassem, por ver as críticas como um ataque indireto à gestão de José Serra no município - ele foi prefeito de 2005 a 2006, quando se candidatou ao governo do Estado, deixando Kassab em seu lugar.Após mudar sua equipe de marketing, na semana passada, Alckmin retomou o tom crítico. O atual prefeito passou a ser seu principal alvo.Kassab tinha apenas 11% no Datafolha de final de julho. Candidato com maior tempo no rádio e na TV, ele foi o único que cresceu após o início do horário eleitoral. Sua propaganda tem dois eixos principais: ataques a Marta e exaltação de programas da prefeitura, principalmente os voltados à área social. Por enquanto, ele tem preservado o concorrente tucano das críticas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.