Kassab lança obra viária e critica ''erros'' de petista

O prefeito Gilberto Kassab (DEM) usou ontem obras da Prefeitura de São Paulo para atacar a gestão da ex-prefeita Marta Suplicy (PT) na área de trânsito. Acompanhado do secretário municipal dos Transportes, Alexandre de Moraes, ele visitou a construção de nova área para o corredor de ônibus da Avenida Rebouças e atribuiu os problemas locais a "erros" cometidos pela petista."Aqui na Rebouças vamos fazer intervenções de tal maneira que o corredor tenha um projeto como deveria ter sido feito desde seu início, com área de ultrapassagem e com poucas interferências", afirmou o prefeito.Oficialmente, a visita era para lançar pacote de 9 obras viárias para aumentar a fluidez do trânsito. Os corredores são o alvo principal das intervenções.Mas, logo de início, Kassab deu o tom do discurso. "Esse é o corredor típico que não deveria ter sido feito." Em agenda de prefeito, ele falou como candidato: "Vamos reformar os que tinham projetos equivocados como esse da Rebouças."Longe de seu principais adversários, Marta e Geraldo Alckmin (PSDB), nas pesquisas eleitorais, Kassab focou seu discurso na comparação entre a sua gestão e a da petista. "Não quero aqui fulanizar. Quero criticar os maus corredores", esquivou-se. Mas emendou: "É evidente que têm corredores na cidade que as administrações simplesmente isolaram uma faixa na avenida, colocaram tachões e chamaram de corredor. Isso não é corredor."Para ele, "é evidente que houve erro" por parte da gestão Marta no caso da Rebouças. Questionado sobre os 200 quilômetros de corredores que a petista diz ter feito, rebateu: "Isso não existe."Com R$ 1,5 milhão dos cofres públicos para ampliar o corredor da Rebouças, Kassab disse que quer entregar tudo até o final do ano. Negou, porém, que estivesse fazendo uso eleitoral.A campanha de reeleição lançou ontem o segundo número do jornal em que Kassab aparece como responsável pelas obras da prefeitura. Apesar de não trazer a foto do governador José Serra (PSDB) - destacada na primeira edição -, seu nome é citado.Em uma das citações, o material informa que "Com Serra e Kassab, São Paulo ganhou 217 novas escolas". Ontem, questionado sobre o apoio do governador, o prefeito afirmou que o tucano vive situação peculiar, mas está seguro que terá sua ajuda."Tenho dito que tenho muito respeito por ele e ele saberá como se comportar nesta eleição. Todos sabem que o PSDB é seu partido e todos sabem que esse governo é o governo que ele foi eleito e eu tenho a honra de dar continuidade", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.