Kassab já quer o apoio de Alckmin no segundo turno

Confiante após pesquisa, ele defende parceria com tucanos; rival diz que também conta com apoio dele

Moacir Assunção e José Maria Tomazela, O Estadao de S.Paulo

28 de setembro de 2008 | 00h00

Animado pelos novos números da pesquisa que o coloca 5 pontos à frente de Geraldo Alckmin (PSDB), o prefeito e candidato do DEM, Gilberto Kassab, já quer o apoio do candidato tucano para o segundo turno. Ontem ele destacou a importância de os dois partidos estarem juntos agora com vistas às eleições presidenciais de 2010. "É a aliança que em 2010 vai se apresentar em conjunto para dirigir o País." Em visita às obras do Parque Linear Pinheirinho, no bairro Parada de Taipas, Kassab falou como se já estivesse no segundo turno e revelou planos para a próxima gestão, como a construção de 40 novos parques.Ele vinculou seus bons índices à transferência de votos, inclusive do PSDB. Segundo o Ibope contratado pelo Estado, Kassab tem 25% contra 20% de Alckmin. Marta Suplicy (PT) lidera com 35%. Também no Datafolha ele ultrapassou o ex-governador em 4 pontos, firmando-se no segundo lugar. "Os eleitores que avaliam bem a nossa gestão têm a tendência de transferir os votos para a candidatura que representa essa gestão", disse, lembrando que a gestão tem o apoio do PSDB e do PPS, de Soninha Francine.Informado da disposição do prefeito, Alckmin devolveu no mesmo tom: "Eu também conto com o apoio dele no segundo turno". Fazendo campanha, ontem à tarde, o tucano lembrou que, na eleição presidencial, derrotou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na última semana de campanha em São Paulo, apesar de ter sido por ele derrotado, no resto do País. "Nada está definido ainda. Nós do PSDB temos tradição de chegada, como já aconteceu duas vezes com Mário Covas", argumentou. Alckmin disse que é o melhor candidato para enfrentar Marta. "Temos o menor índice de rejeição, o que é decisivo no segundo turno", disse.Alckmin vai acionar na Justiça o rival Kassab por crime eleitoral. A razão são cartas enviadas aos militantes do PSDB na zona sul assinadas pelo subprefeito da Cidade Ademar, Beto Mendes, pedindo votos para Kassab e para o vereador tucano Gilberto Natalini. O vereador é o líder dos tucanos que defendem o apoio a Kassab. Para os alckmistas, o episódio configura abuso de poder e uso de recursos públicos para beneficiar um candidato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.