Leonardo Soares/AE
Leonardo Soares/AE

Kassab é ignorado em horário eleitoral de candidatos a vereador

Único a mencionar nome do prefeito foi o ex-secretário estadual de Cultura Andrea Matarazzo

Daiane Cardoso - Agência Estado

21 de agosto de 2012 | 13h21

SÃO PAULO - O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, fundador do PSD e rejeitado por 43% dos paulistanos segundo a última pesquisa Ibope, foi ignorado pelos candidatos a vereador de seu partido na estreia da propaganda eleitoral gratuita no rádio.

 

No programa exibido ao meio-dia, o único a mencionar o nome do prefeito foi o ex-secretário estadual de Cultura Andrea Matarazzo, do PSDB, ao citar seu currículo político. Candidatos como Kiko do KLB, o atual presidente da Câmara dos Vereadores, José Police Neto, e o estreante Serginho do BBB destacaram apenas o seu número e sua bandeira política, sem fazer nenhuma menção a Kassab.

 

Diferentemente dos candidatos do PSD, que evitaram o nome de seu líder político, os petistas fizeram questão de se apresentar como "os candidatos de Lula e da presidente Dilma". Assim como na propaganda da manhã, os postulantes do PT falaram sobre transporte público e as dificuldades que os paulistanos enfrentam diariamente. "Nenhum corredor de ônibus foi feito nos últimos oito anos", apontou o vereador Antonio Donato, presidente do diretório municipal do partido e coordenador da campanha do candidato à Prefeitura, Fernando Haddad.

 

Já o PCdoB, da coligação de Haddad, apresentou apenas Netinho de Paula, Jamil Murad e o ex-ministro do Esporte Orlando Silva, considerados no partido como "puxadores" de voto. "São Paulo pode ter dois ministros de Lula cuidando da cidade", pregou Orlando Silva.

 

Dos candidatos a prefeito de São Paulo, apenas Paulinho (PDT), Soninha (PPS) e Eymael (PSDC) pediram voto para seus candidatos. Os demais candidatos à Prefeitura de São Paulo foram apenas mencionados pelos candidatos a vereador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.