Kassab diz que Haddad o questionou sobre manutenção de aliado na Prefeitura

Prefeito afirmou também que seu apoio ao petista é 'incondicional'

Eduardo Bresciani, O Estado de S. Paulo

27 de novembro de 2012 | 11h54

BRASÍLIA - O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), afirmou nesta terça-feira, 27, que o seu sucessor, Fernando Haddad (PT), eleito em outubro, o questionou sobre a manutenção de algum aliado para a próxima administração. Ele não revelou a que nome se referiu a consulta.

"Ele me consultou e eu disse que da nossa parte não tem problema, que caso ele entenda que algum dos quadros que estão hoje em cargo de confiança na Prefeitura continuasse teria minha simpatia", afirmou Kassab, que participa de evento na Câmara dos Deputados, em Brasília, de comemoração de um ano da concessão do registro pela Justiça Eleitoral ao PSD.

Kassab afirmou que o apoio ao novo prefeito é "incondicional" e destacou que a bancada do partido na Câmara já se uniu em um bloco com o PSB para dar sustentação Haddad. "Eu vou ajudá-lo e estou a disposição sempre que for convidado".

No plano nacional, Kassab reafirmou que o PSD vai discutir no próximo ano se apoiará a reeleição de Dilma. Ele afirmou que somente após uma manifestação oficial neste sentido é que a legenda poderá vir a ocupar algum cargo no governo federal. Disse ainda que sua posição pessoal é de apoio a Dilma e que a decisão deve ser rápida e, provavelmente, também nesta direção. O PSD reúne hoje sua executiva para fazer um balanço das eleições de 2012 e começar a debater o futuro. O processo formal de consultas sobre apoio ao governo federal, porém, só acontecerá a partir de fevereiro, segundo Kassab.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.