Kassab bate Marta por 1,3 milhão de votos

Abertas as urnas, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) não só se reelegeu como também superou a vantagem que o padrinho político, José Serra, havia imposto à mesma adversária, Marta Suplicy (PT), em 2004. Kassab derrotou a ex-ministra pela diferença de 1,34 milhão de votos (60,72% a 39,28%) e o PT perdeu redutos eleitorais e foi empurrado à periferia.Em entrevista ao Estado, ele atribuiu a vitória aos acertos da gestão e à parceria com os tucanos, mas frisou: "O DEM não é anexo do PSDB." Como era esperado, insistiu na tecla de 2010: "Quero ser um bom prefeito e fortalecer a candidatura Serra." Após 4 meses dividido entre a prefeitura e a campanha, Kassab descansará por 10 dias, possivelmente na Europa. Ao voltar, vai remodelar a equipe, em jogo combinado com o governador, a quem demonstrou a sua gratidão no discurso da vitória, no Teatro Municipal.Marta acusou a Justiça Eleitoral de favorecer o rival: "Fomos sempre penalizados e ele, raramente." Aliados, para mantê-la em evidência até a eleição para governador, pressionarão o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a reconduzi-la à Esplanada. O PT, em crise, não perdoou o marqueteiro João Santana.Lula, que elegeu Luiz Marinho em seu berço político, São Bernardo do Campo, não falou em derrotas. Garantiu que a eleição não terá reflexos na sua sucessão. Para o DEM, porém, "2010 começa nesta segunda-feira", com o cortejo ao PMDB, o maior vitorioso.País afora, a eleição - que por uma urna trocada no Rio não entrou para a história como a primeira totalmente informatizada - tirou personagens do tabuleiro político e abalou outros. Kassab, em alta, chefiará no DEM as conversas sobre eleição presidencial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.