Justiça suspende despejo em assentamento em Pernambuco

O desembargador Nélson Santiago Reis, do Tribunal de Justiça de Pernambuco, suspendeu na noite desta quinta-feira ação de despejo do Engenho Prado, iniciada hoje pela manhã. A proprietária da terra poderá recorrer da decisão."Não conseguimos evitar a destruição das casas dos trabalhadores, mas pelo menos vamos assegurar que as lavouras dos trabalhadores não sejam arrancadas, como prometeu a Usina Santa Teresa", afirmou o advogado da Comissão Pastoral da Terra, Bruno Ribeiro.O Engenho estava ocupado há seis anos pelo trabalhadores ruais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.