Justiça seqüestra bens de ex-secretário da BA

Acusado de "atos gravemente atentatórios ao princípio da probidade administrativa, importando em enriquecimento ilícito", o ex-secretário de Administração da Bahia, Sérgio Augusto Martins Moysés, teve os bens seqüestrados pela Justiça baiana a pedido do procurador do Estado Marco Valério Viana Freire.O juiz Ricardo D´Ávila, titular da 5ª Vara da Fazenda Pública da Bahia, que aceitou os argumentos do procurador Freire, decretou também o seqüestro dos bens de vários parentes e "laranjas" do ex-secretário: José Torzillo Edvaldo Farias de Carvalho Filho, Carlos Eduardo Martins Moysés, Augusto Moysés, César Cordeiro, além da empresa Agropecuária Águas do Rio Grandense Ltda. Todos participariam do esquema supostamente montado por Sérgio Moysés para desviar recursos do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC), órgão criado pelo governo baiano, subordinado à Secretaria de Administração, que concentra todos os serviços de atendimento ao público num único local. A investigação da Procuradoria nota "indícios de repentino e desproporcional enriquecimento" de Moysés, que poderia ser comprovado pela aquisição de "valioso patrimônio pessoal, prosperidade esta que também se estendeu a seus familiares e amigos", que seriam 6 apartamentos em Salvador, vários terrenos, carros importados e embarcações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.