Justiça recebe novos dados sobre Maluf

Documentos das ligações telefônicas internacionais feitas pelo ex-prefeito Paulo Maluf (PPB) em aparelhos celulares da BCP-Telecomunicações e da Telesp Celular foram entregues pelas duas operadoras, no final desta tarde, para o juiz-corregedor do Departamento de Inquéritos Policiais (Dipo) de São Paulo, Maurício Lemos Porto Alves. A assessoria de imprensa do juiz informou que os documentos serão encaminhados amanhã para a CPI da Dívida Pública da Câmara Municipal de São Paulo, que pediu a quebra do sigilo de Maluf, decretada pelo juiz-corregedor no dia 27 de agosto.De acordo com o despacho do juiz, cópias dos documentos com a quebra do sigilo telefônico de Maluf e de seus familiares, já em poder do Ministério Público, deveriam ser encaminhadas para a CPI. A medida foi justificada pelo juiz-corregedor com base na "proximidade da data final para conclusão da CPI", conforme diz o despacho. A CPI encerra seus trabalhos no próximo dia 17."Mas a transferência de documentos não foi possível, porque a quebra de sigilo decretada a pedido do Ministério Público envolve também a esposa e filhos do ex-prefeito", informou hoje a assessoria de imprensa do Dipo. No final de semana, Porto Alves encaminhou ofício às operadoras determinando novo envio de documentos, desta vez com exclusividade para as contas de Maluf.Segundo a assessoria de imprensa da presidente da CPI, vereadora Ana Martins (PCdoB), a Intelig e a Embratel anteciparam que deverão entregar até amanhã os documentos da quebra do sigilo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.