Justiça prorroga por cinco dias prisão de José Rainha

A 5.ª Vara da Justiça Federal de Presidente Prudente (SP) prorrogou hoje por mais cinco dias a prisão temporária do líder dissidente do Movimento dos Sem-Terra (MST), José Rainha Júnior. Ele está preso desde o dia 16, acusado de liderar um esquema de desvio de recursos da reforma agrária. Outras nove pessoas presas durante a Operação Desfalque, da Polícia Federal, também continuam na prisão. Ontem, o Tribunal Regional Federal (TRF) de São Paulo já havia negado o pedido de habeas corpus feito pelos advogados da Rede Social de Justiça e Direitos Humanos na tentativa de libertar o líder sem-terra.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

20 de junho de 2011 | 19h21

De acordo com o advogado Aton Fon Filho, a defesa de José Rainha deve pedir a reconsideração da prisão e, se não houver, entrar com novo pedido de habeas corpus. Além do líder, estão presos seu irmão Roberto Rainha, Claudemir Silva Novaes, Priscila Carvalho Viotti, Edvaldo da Silva, Nivaldo dos Santos Júnior, Valdemir Santana, Rosalina Rodrigues, Cristina da Silva e Cássia Maria Alves dos Santos.

Hoje, servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em São Paulo decidiram entrar em estado de greve a partir de amanhã por mudanças no órgão. De acordo com a Associação dos Servidores do Incra (Assincra), os funcionários vão realizar uma manifestação, a partir das 9 horas, exigindo a presença do presidente do Incra, Celso Lacerda, na sede do órgão em São Paulo. Está prevista a ocupação do gabinete da superintendência paulista até a chegada do presidente da autarquia. Eles querem a destituição do atual superintendente, Raimundo Pires da Silva. De acordo com a assessoria, Silva não se manifestaria sobre o caso.

Tudo o que sabemos sobre:
terraprisãoRainhaMST

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.