Justiça pede desocupação de Câmara de Natal

Estudantes que pedem a saída da prefeita estão acampados no prédio há mais de uma semana

Marcela Gonsalves, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2011 | 19h33

A Justiça determinou hoje que os cerca de 100 integrantes do movimento "Fora Micarla", contra a prefeita de Natal, desocupassem ainda nesta terça-feira, 15, a Câmara Municipal. Eles estão acampados no prédio há mais de uma semana. Os magistrados determinaram o prazo de até as 18 horas para que os manifestantes deixassem o prédio. O relator da matéria, desembargador Caio Alencar, afirmou que faria o possível para que não fosse utilizada força policial, mas declarou: "adianto que a decisão será cumprida".

O recurso interposto pelos manifestantes continha, além do pedido do direito de permanência no local, o contraponto a duas questões que Alencar considerou ilegítimas. Uma delas dizia respeito à suposta ilegitimidade do procurador geral do município figurar na ação. O Pleno também rejeitou a preliminar que pedia a suspensão do mandado de segurança interposto pela Câmara Municipal.

Os estudantes invadiram a sede do legislativo pedindo o impeachment da prefeita Micarla de Sousa. Durante o período da ocupação, o legislativo da capital potiguar ficou impedido de realizar sessões. A Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte (OAB-RN) tentou intermediar o conflito entre os manifestantes e os vereadores. A revolta dos estudantes aumentou com a extinção da Comissão Especial de Inquérito (CEI), ocorrida no último fim de semana, que havia sido instalada para investigar os aluguéis pagos pela prefeitura.

Tudo o que sabemos sobre:
protestoNatalCâmaradesocupação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.