Justiça nega soltura a réu do mensalão pego com euro na cueca

Enivaldo Quadrado, réu no mensalão, foi flagrado no Aeroporto de Cumbia com R$ 1,16 milhão não declarado

SOLANGE SPIGLIATTI, Agencia Estado

19 de dezembro de 2008 | 14h31

A Justiça Federal de Guarulhos, na Grande São Paulo, decidiu manter preso provisoriamente o empresário Enivaldo Quadrado - réu por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha no processo do mensalão  -, flagrado no Aeroporto Internacional de Cumbica com 361.445 euros não declarados na cueca, no último dia 6 de dezembro. O juízo da 5ª Vara Federal acolheu a manifestação do Ministério Público Federal em Guarulhos, que foi contra o pedido de liberdade provisória feito pela defesa do réu.  Veja também:  Os 40 do mensalão A Justiça levou em consideração o fato de Quadrado responder por ação penal relativa ao envolvimento com o mensalão, fato "suficiente para a manutenção da prisão em flagrante". Ao preencher a ficha distribuída pela Receita em vôos internacionais, ele disse que não portava moeda estrangeira em valor acima de R$ 10 mil. Pela lei brasileira, quem transportar valor acima desse valor deve declarar a importância à Receita Federal. Como ele mentiu na declaração, a PF o prendeu em flagrante pelo crime de falsidade ideológica.

Tudo o que sabemos sobre:
corrupçãomensalãoprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.