Justiça nega recurso de José Alencar em caso de paternidade

Vice-presidente apelou contra sentença que determinou que mulher fosse reconhecida como filha

Solange Spigliatti, Central de Notícias

31 de agosto de 2010 | 15h39

SÃO PAULO - A Justiça de Minas Gerais negou o pedido de apelação do vice-presidente José Alencar, no caso de reconhecimento de paternidade da professora aposentada Rosemary de Morais, de 55 anos. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira, 30. Alencar ainda pode recorrer contra a decisão do juiz de não receber a apelação.

 

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas, a decisão foi do juiz José Antônio de Oliveira Cordeiro em não receber os recursos apresentados por Alencar contra a sentença na qual determinou que a professora fosse reconhecida como sua filha.

 

No dia 21 de julho, Cordeiro reconheceu que a aposentada é filha de Alencar. A mineira brigava na Justiça desde 2001. O magistrado concedeu também o direito da aposentada de adotar o sobrenome do pai, passando a se chamar Rosemary de Morais Gomes da Silva.

 

No pedido ingressado na Justiça, Rosemary contou que sua mãe, conhecida como Tita, teve um relacionamento com Alencar em 1954. Rosemary nasceu no ano seguinte.

Tudo o que sabemos sobre:
José Alencar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.