Justiça nega habeas-corpus a Faria Lima

A 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negou, por unanimidade, habeas-corpus ao ex-presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Paulo Roberto Faria Lima, que desejava sua exclusão de processo que corre na 12ª Vara Criminal de São Paulo por concussão (corrupção de funcionário público). Faria Lima é acusado de haver liderado, na gestão do prefeito da capital, Celso Pitta, a máfia dos fiscais na Administração Regional de Pinheiros, que envolvia esquema de extorsão contra comerciantes. O ex-vereador alegava que a denúncia era "inepta", dada a "absoluta ausência de provas", quanto a sua participação nos fatos.As investigações na Administração de Pinheiros iniciaram-se em 12 de dezembro de 98, quando o fiscal Marco Antônio Zeppini foi preso em flagrante, extorquindo a proprietária de uma academia de ginástica. A Procuradoria Geral da Justiça preferiu não conceder habeas-corpus, assegurando estar provado que Faria Lima "organizou o grupo criminoso, exercia domínio e liderança sobre seus membros, impondo a particulares concessão de vantagens ilícitas". O habeas-corpus foi negado pelos votos dos desembargadores Gomes Amorim (relator) e Damião Cogan Denser de Sá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.