Justiça nega arquivar processo de ex-diretores do Sindicargas

Os acusados de mandar matar a tiros o sindicalista Bruce Lee, em 23 de outubro de l992, em conjunto habitacional em Vila Prudente, tiveram habeas corpus negado pela Justiça nesta quinta-feira. A defesa dos ex-diretores do Sindicato dos Rodoviários (Sindicargas) José Carlos Sena e Natalício Ferreira Alves pedia o arquivamento do processo. A defesa alegou não existir "qualquer indício sério" capaz de sustentar a acusação de participação de Sena e Natalício como mandantes, mas a argumentação não foi aceita.Bruce Lee e os dois acusados disputavam a direção do Sindicargas em l992. Na ocasião, a vítima acusou Sena e Natalício de desvio de verbas. No dia em que foi morto, Bruce deveria ser ouvido nas investigações instauradas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.