Justiça nega à vidente pedido de suspensão de investigação

A videnteValentina de Andrade, absolvida há quinze dias da acusação de co-autoria intelectual de castrações e mortes de crianças emAltamira, perdeu ontem na Justiça Federal de Belém um pedido de liminar em habeas-corpus para suspender as investigaçõesque apuram quebra de incomunicabilidade dos sete jurados que a absolveram. De acordo com despacho do juiz federal em exercício da 4.ª Vara de Belém, José Airton de Aguiar Portela, o pedido dosadvogados de Valentina "carece de completa fundamentação". Ele também afirma nas três laudas de sua decisão que não háqualquer elemento consistente, demonstrado nos autos de que Valentina esteja sofrendo ou venha a sofrer algum tipo deconstrangimento ilegal por parte da Polícia Federal. Os advogados Cláudio Dalledone Júnior e Eduardo Caldas tacharam as investigações feitas pelas polícias Federal e Civil de"imprestáveis e ilegais". A Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe), porém, já tem a prova de que os sete juradosque atuaram no julgamento fizeram diversas ligações durante os 17 dias em que estiveram hospedados no hotel Regente. A prova são os registros telefônicos obtidos junto à empresa Telemar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.