Justiça mantém prisão preventiva de José Rainha

O líder do Movimento do Sem-Terra (MST), José Rainha Júnior, vai continuar na cadeia. O juiz Atis de Oliveira Araújo, do Fórum Distrital de Teodoro Sampaio, manteve hoje sua prisão preventiva, indeferindo o segundo pedido da defesa para que fosse libertado. Rainha, que responde a processo por formação de quadrilha e furto, foi preso no dia 5 de setembro, no assentamento Ernesto Che Guevara, no Mirante do Paranapanema, após permanecer foragido por 105 dias.A defesa deverá ingressar agora com habeas-corpus no Tribunal de Justiça, em mais uma tentativa de libertar o líder do MST. A defesa argumentou que não há justificativa para manter Rainha na prisão, uma vez que o MST não está mais impedindo os trabalhos do Itesp, que realiza a reforma agrária na região. O juiz, em seu despacho, disse que essa mesma argumentação já fora levantada em um primeiro pedido de revogação da prisão preventiva, " não sendo caso de nova apreciação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.