Justiça mantém prefeito de Londrina-PR no cargo

O juiz da 4ª Vara Cível de Londrina (PR), Mário Azzolini, negou hoje o pedido de afastamento do prefeito Barbosa Neto (PDT), que tinha sido apresentado pelo Ministério Público do Paraná. A Promotoria diz ter provas de que o prefeito e sua mulher, Ana Laura Lino Barbosa, teriam recebido R$ 20 mil em espécie do representante da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Atlântico, dias antes de ela ser contratada para gerenciar atividades de saúde no município.

EVANDRO FADEL, Agência Estado

08 de junho de 2011 | 19h28

Em ação civil pública, o MP sustentou ainda que havia promessa de pagamento de outros R$ 300 mil. O prefeito negou as acusações, alegando que têm conotação política. Na decisão, Azzolini justificou que "a hipótese de que o prefeito possa exercer influência na apuração dos fatos, atemorizar testemunhas, manipular informações ou exercer pressão política por si só não autoriza o afastamento do cargo". "A prova documental e os depoimentos trazidos aos autos reforçam o entendimento de que não há risco de manipulação de provas", sustentou. Segundo ele, o afastamento também pode causar "sério prejuízo" à administração pública.

Tudo o que sabemos sobre:
prefeitoLondrinainvestigação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.