Justiça mantém filho de Cássia Eller com Eugênia

O juiz da 2ª Vara de Órfãos e Sucessões, Luiz Felipe Francisco, manteve com Maria Eugênia Vieira Martins a tutela provisória de Francisco Eller, o Chicão, filho da cantora Cássia Eller. A artista e Eugênia viveram juntas durante 14 anos. Francisco ratificou a decisão do juiz em exercício da 1ª Vara da Infância e Juventude, Leonardo de Castro Gomes, proferida em janeiro. A decisão definitiva para o caso deve sair em 90 dias. O pai de Cássia, o sargento reformado Altair Eller, disse que continuará brigando pela guarda do neto, que está com 8 anos.A cantora morreu em dezembro passado, vítima de um enfarte. O advogado de Altair Eller, Ricardo Leitão, questionou a competência da Vara de Infância e Juventude para julgar o processo, já que tanto o pai quanto a mãe de Chicão morreram. O Tribunal de Justiça decidiu, então, que o caso deveria seguir para a Vara de Órfãos e Sucessões. O processo foi distribuído há 15 dias e ficou nas mãos do juiz Luiz Felipe Francisco, que manteve a guarda provisória de Chicão com Maria Eugênia.De acordo com a advogada de Maria Eugênia, Alessandra Barroso, o processo agora entra na fase de investigação social. Assistentes sociais visitarão a casa em que Chicão vive e conversarão com o menino. ?Eugênia e ele já discutiram o assunto com a terapeuta. Ele sabe como vai ser. Quando chegar perto do julgamento, nós (advogados) também vamos conversar com ele?, disse. Chicão já manifestou a intenção de continuar com Eugênia.Os irmãos de Cássia Eller também defendem que o menino fique com a companheira da artista. A própria cantora, em entrevista concedida pouco antes de sua morte, demonstrava o temor que o filho não ficasse com Eugênia, caso algo acontecesse com ela. Altair Eller, que mora em Fortaleza, conheceu o neto somente em setembro de 2001, quando esteve no Rio para se submeter a uma cirurgia. Ontem, ele criticou a decisão do juiz Luiz Fernando Francisco. ?Sou casado e tenho um filho. Pelo menos é uma família. A outra lá não tem nenhum vínculo consangüíneo com o menino?, afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.