Justiça manda soltar Nilton Servo e mais seis da Xeque-Mate

A Justiça Federal de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, revogou nesta segunda-feira, 2, a prisão de Nilton Servo - apontado como chefe - e outros seis envolvidos na Operação Xeque-Mate, desencadeada pela Polícia Federal para investigar a máfia dos caça-níqueis. O esquema contou com a prisão de Dario Morelli Filho, compadre do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que já foi solto. Ainda não há previsão de soltura porque os alvarás ainda não foram entregues à Polícia Federal, onde está Servo, e ao Presídio Federal de Campo Grande, onde estão os últimos presos. No último dia 25, a Justiça Federal de Campo Grande aceitou denúncia do Ministério Público Federal do Estado contra 39 acusados de integrarem a máfia dos caça-níqueis. A denúncia incluiu o compadre de Lula, mas deixou de fora o irmão mais velho do presidente, Genival Inácio da Silva, acusado pela PF de tráfico de influência e exploração de prestígio. Morelli foi denunciado por contrabando, formação de quadrilha e falsidade ideológica. O compadre de Lula é listado como sócio de Servo, apontado como chefe da máfia dos caça-níqueis, na exploração de máquinas caça-níqueis em Ilhabela (SP). Na denúncia, Servo responderá por crime de contrabando,formação de quadrilha, corrupção ativa e falsidade ideológica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.