Justiça manda remover alvo de operação para sala de Estado Maior em SP

O advogado Paulo Vieira, apontado como líder da organização que se infiltrou em órgãos públicos, tem direito ao benefício

Fausto Macedo, de O Estado de S. Paulo

27 de novembro de 2012 | 22h54

A Justiça Federal determinou a remoção de Paulo Rodrigues Vieira do Presídio da Papuda, em Brasília, para São Paulo, onde ele deverá ficar em sala de Estado Maior, provavelmente no quartel do Regimento de Polícia Montada da PM 9 de Julho, na Luz.

Apontado como líder de uma organização que se infiltrou em órgãos públicos para compra de pareceres técnicos, Vieira é advogado, o que lhe confere o direito à sala especial, sem grades, até eventual condenação com trânsito em julgado.

A decisão judicial acolheu pedido do criminalista Pierpaolo Bottini, que defende Vieira, diretor de Hidrologia afastado da Agência Nacional de Águas (ANA). "Como advogado, Paulo Vieira tem direito à sala de Estado Maior", considera Pierpaolo Bottini. "Além de ser um direito assegurado em lei, há uma ordem judicial nesse sentido."

Vieira foi preso sexta feira, 23, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Porto Seguro, que envolve também Rosemary Noronha, ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.