Justiça manda governo pagar grevistas da Previdência

O ministro do Superior Tribunal de Justiça, Vicente Leal, concedeu na noite de quarta-feira uma liminar obrigando o Ministério da Previdência a pagar os salários de outubro dos servidores em greve, filiados à Associação Nacional dos Servidores da Previdência Social (Anasps). A entidade conta com 53 mil associados, dos quais 35 mil estão na ativa. A Advocacia-Geral da União deve recorrer da decisão.O presidente da Anasps, Paulo César de Souza, declarou esperar que o ministro da Previdência, Roberto Brant, cumpra o que foi decidido pelo STJ e que também reabra as negociações com os grevistas. ?Esta foi uma das grandes vitórias de nossa associação contra o autoritarismo, a intolerância e a intransigência?, disse.Paulo César foi pessoalmente até o ministério nesta quinta-feira, e entregou ao chefe de gabinete do ministro, Augusto Viveiros, a sentença do ministro Vicente Leal.O presidente da Anasps voltou a garantir que a greve só acabará quando o governo atender as reivindicações dos servidores do INSS, que pedem um reajuste de 75,48%, a criação de um plano de carreira, e de concurso público para substituir os quatro mil funcionários terceirizados e ainda a criação de uma gratificação para substituir os atuais 47,11% pagos aos servidores. ?O governo pode até recorrer no Supremo Tribunal Federal. Mas nós temos certeza de que também ganharemos lá?, afirmou Paulo César.O presidente da Associação declarou que existem 1.135 dependências do INSS paradas em todo o País. A Previdência tem, ao todo, 90 mil servidores, dos quais 45 mil estão na ativa e os demais são aposentados. Dos 45 mil funcionários que estão na ativa, 35 mil são filiados à Anasps.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.