Justiça liberta mais um envolvido no caso Sudam

O Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, em Brasília, concedeu hoje liminar, garantindo a liberdade do dono da Préstimus Assessoria, Jorge Jerônimo Gonso, empresa que elaborava os projetos apresentados pelo empresário José Osmar Borges e outros empresários com irregularidades. Ao todo, das 27 prisões decretadas em Tocantins, Pará e Mato Grosso 15 já foram revogadas. Em Cuiabá, apenas o ex-contador do empresário Borges, Florisvaldo Fúrio, permanece preso. Fúrio foi preso ontem à noite no centro de Cuiabá. Seu advogado Jatabairu Nunes informou que ele não tem nenhuma ligação com o esquema fraudulento da Sudam. "As notas fiscais já vinham preenchidas e ele apenas contabilizava os valores", disse o advogado que ingressou hoje com pedido de habeas-corpus para relaxar a prisão de seu cliente.Prisão - Na última segunda-feira a Justiça Federal de Tocantins e do Mato Grosso decretou a prisão preventiva de 27 acusados de envolvimento nas fraudes da Sudam a pedido do Ministério Público Federal que investiga as irregularidades. Segundo o procurador José Pedro Taques, as fraudes na Sudam podem chegar a cerca de R$ 2 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.