Justiça extingue ação que proibia reportagem do 'JT'

Ação proibiu 'Jornal da Tarde' de publicar reportagem sobre supostas irregularidades cometidas pelo Cremesp

da Redação,

30 de junho de 2008 | 19h43

Depois de seis dias de censura, o juiz substituto Danilo Almasi Vieira dos Santos, da 10ª Vara de Justiça de Federal de São Paulo, extinguiu a ação que proibia o Jornal da Tarde de publicar reportagem sobre supostas irregularidades cometidas pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp). Com isso, terminou a censura ao Grupo Estado. A decisão foi tomada na sexta-feira, mas só nesta segunda-feira o Jornal da Tarde teve acesso ao documento.   Veja também: Censura à imprensa fere Carta de 1988  Reportagem do 'JT' é censurada pela Justiça ANJ condena censura prévia à reportagem do 'Jornal da Tarde'  Especial: Nas páginas do Estadão, a luta contra a censura  Para Grupo Estado, liminar contra JT foi 'decisão arbitrária'   O magistrado acatou solicitação do próprio Cremesp, que recuou dois dias depois de pedir a suspensão da reportagem, que ainda estava sendo apurada. No pedido, o Cremesp alegou que teve tempo de preparar as justificativas e publicar uma nota oficial antes que a reportagem fosse publicada, "podendo exercer o devido direito de defesa". O conselho entrou com ação antes de conceder entrevista ao Jornal da Tarde e em nenhum momento pediu mais tempo para responder.   A reportagem será publicada nesta terça-feira, 1, no Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
Jornal da TardecensuraCremesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.