Justiça eleitoral nega recurso de Padilha contra Alckmin

A Justiça Eleitoral negou hoje o pedido da campanha do candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, para retirar do ar a propaganda do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que ligava o petista ao caso do mensalão. Segundo o juiz Marcelo Coutinho Gordo, da Procuradoria Regional Eleitoral, a propaganda "não ultrapassa os moldes da crítica política". À decisão cabe recurso.

CARLA ARAÚJO E VALMAR HUPSEL FILHO, Estadão Conteúdo

23 de setembro de 2014 | 20h21

O juiz afirmou, em sua argumentação, que as assertivas contidas no pedido "dependem de interpretação de dados que só podem ser esclarecidas após complementada a dialética processual".

No programa exibido nesta segunda-feira, 22, no rádio e TV, o mais duro ataque da campanha tucana contra Padilha, um locutor afirma que dois dos últimos candidatos do PT ao governo de São Paulo estão presos - em referência a José Dirceu e José Genoino, condenados por envolvimento no mensalão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.