Justiça Eleitoral de SP convocará 400 mil mesários até 4 de agosto

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP), em todo o Estado serão instaladas 81,5 mil mesas receptoras de votos, com cinco integrantes cada

Agência Estado / SÃO PAULO

25 Julho 2010 | 12h43

A Justiça Eleitoral de São Paulo encerra no dia 4 de agosto a convocação de cerca de 400 mil mesários para trabalhar nas eleições gerais de 3 de outubro. De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP), em todo o Estado serão instaladas 81,5 mil mesas receptoras de votos, com cinco integrantes cada. Só na capital, atuarão 114 mil mesários - 28,5% do total das convocações.

 

Os mesários são escolhidos preferencialmente entre os eleitores da própria seção eleitoral, e dentre eles os que tem nível superior, professores e servidores da Justiça. O eleitor convocado que não quiser trabalhar como mesário tem 5 dias de prazo para contestar a convocação junto ao juiz eleitoral, a partir do seu recebimento. A dispensa só ocorre em casos excepcionais, mediante apreciação do magistrado.

 

Voluntários

 

Para diminuir o número de convocações obrigatórias, a Justiça Eleitoral promove desde abril a inscrição voluntária de estudantes através de convênios com diversas instituições de ensino superior. A parceria já abrange 69 instituições em todo o Estado, sendo 15 na capital - como o Centro Universitário Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), Faculdade Cásper Líbero, Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) e Pontifícia Universidade Católica (PUC).

 

Todo eleitor em situação regular perante a Justiça Eleitoral pode ser mesário, exceto candidatos e seus parentes, membros de diretórios de partidos políticos, agentes policiais e demais casos previstos na legislação eleitoral. O eleitor interessado no trabalho voluntário pode fazer inscrição nas instituições de ensino conveniadas (www.tre-sp.jus.br). Neste ano, 20.536 eleitores já se inscreveram como mesário voluntário em todo o Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.