Justiça do Rio pede prisão de 8 por fraude em Cambuci

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou hoje à Justiça oito pessoas por fraude à Lei de Licitações e por crimes contra a administração pública na prefeitura de Cambuci, praticados por integrantes da administração e empresários locais. Entre os denunciados está Oswaldo Abido Botelho, secretário Municipal de Trabalho e filho do prefeito Oswaldo Botelho. A prisão preventiva de todos os suspeitos foi decretada.

PEDRO DA ROCHA, Agência Estado

25 de agosto de 2010 | 21h08

Até o final da tarde de hoje já haviam sido presos o presidente da Comissão de Licitação, o empresário da construção civil Sebastião Francis Kiffer, o engenheiro civil Juarez Lopes Machado e Vanda Rosa Cunha Silveira, servidora da Promotoria de Justiça de Cambuci, que fornecia à quadrilha informações sigilosas da interceptação telefônica feita durante as investigações.

A polícia começou com a instauração de procedimentos administrativos nas promotorias de Justiça de Cambuci e de Tutela Coletiva de Santo Antônio de Pádua após representação encaminhada pelo vereador David Ramiro Ney. Segundo a denúncia, o grupo fraudou procedimentos licitatórios para contratação de obras no município. Os mentores intelectuais dos crimes, conforme o MP, eram o filho do prefeito e Rossine Dias Leal, presidente da Comissão de Licitação da prefeitura.

Os editais forjados da licitação seriam produzidos por Fábio Paes Pasco, em cujo escritório particular foi apreendido um computador com diversos documentos sobre as operações criminosas. Ainda estão foragidos Oswaldo Abido Botelho, Fábio Paes Pasco, Carlos Fábio Pereira Aguiar e Moisés da Silva.

Tudo o que sabemos sobre:
corrupçãofraudeprisãoCambuciRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.