Justiça diz que acusações contra Bastos são infundadas

A assessoria de imprensa do Ministério da Justiça divulgou neste sábado nota afirmando que "são totalmente infundadas" as informações publicadas pela revista Veja, de que o banqueiro Daniel Dantas teria um dossiê com uma lista de autoridades, entre eles o ministro Márcio Thomaz Bastos, que manteriam dinheiro escondido no exterior. "Todos os investimentos de Thomaz Bastos foram devidamente declarados e com recolhimento de impostos, como consta em sua declaração de Imposto de Renda", diz a nota.A declaração foi feita no mesmo dia em que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos anunciou que avaliaria ainda nesta semana a conveniência de se convocar o banqueiro Daniel Dantas para depor, após a entrevista que ele deu à revista Veja em que acusa o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, de tê-lo tentado achacar pedindo entre US$ 40 e US$ 50 milhões. Em troca, Delúbio teria acenado com ajuda para "resolver as dificuldades" que o grupo empresarial de Dantas, o Opportunity, enfrentava com o governo.O relator da CPI, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), afirmou que conversará sobre o assunto no próximo domingo com a assessoria jurídica da comissão e também o presidente da comissão, senador Efraim Moraes (PFL-PB). Alves já cogitava convocar a irmã do banqueiro, Verônica Dantas, por conta da denúncia levada por ela ao líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), em que apresentou um ofício enviado pelo advogado do Opportunity à Justiça de Nova York . O documento afirma que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os ex-ministros Antônio Palocci e José Dirceu perseguiam Dantas porque ele rejeitou um pedido de "dezenas de milhões de dólares" para o PT.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.