Justiça determina que Orkut retire a página de Lessa do ar

Para procurador, página do pedetista no site contém um flagrante trabalho de captação de votos

Ricardo Rodrigues / MACEIÓ, Agência Estado

16 de junho de 2010 | 20h53

A Justiça Eleitoral de Alagoas determinou na quarta-feira, 17, a retirada do ar da página de divulgação do pré-candidato ao governo do Estado, Ronaldo Lessa (PDT), no site de relacionamentos Orkut. A decisão atendeu a um pedido feito pelo Ministério Público Eleitoral, que acusa o ex-governador de propaganda eleitoral antecipada.

Segundo o procurador eleitoral auxiliar José Godoy, autor da representação, o nome de Lessa estaria sendo enaltecido no Orkut como o candidato ao governo mais capaz para exercer o cargo. Em entrevista à imprensa, Godoy justificou ainda que, na comunidade virtual do pré-candidato, os internautas seriam instigados a responder se votariam ou não em Lessa para deputado federal, senador ou governador do Estado.

O procurador disse ainda que a página de Lessa traz textos exaltando a pessoa do pré-candidato, além de fotos de atividades relacionadas à campanha eleitoral. Para Godoy, no Orkut de Lessa há um flagrante trabalho de captação de votos dos eleitores, antes do período eleitoral. "Isso cria uma distorção no pleito, pois os candidatos que cumprem a lei eleitoral ficam em inegável situação de desvantagem", acrescentou. A reportagem do Estadão tentou ouvir o ex-governador Ronaldo Lessa, mas ele não foi localizado para comentar a decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.