Justiça determina identificação de invasores do MST no Pontal

O juiz Luciano Brunetto Beltran, do Fórum de Presidente Bernardes, no Pontal do Paranapanema, determinou que as polícias civil e militar identifiquem os 300 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) que, desde a última terça-feira, 17, ocupam a Fazenda São Luiz, na zona rural do município. O mandado, que integra a liminar de reintegração de posse da área, foi encaminhado ao comando da Polícia Militar e à Delegacia de Polícia Civil do município. Uma vez identificados, o juiz quer que os participantes da invasão sejam indiciados em inquérito policial pelo crime. Esta foi a nona invasão da fazenda e, segundo o proprietário Carlos Frederico Machado Dias, é a primeira vez que a Justiça determina a identificação de cada invasor. Na São Luiz, os invasores destruíram a plantação de cana-de-açúcar, num protesto contra a monocultura e o agronegócio, segundo as lideranças. O número de invasões em São Paulo, durante o governo Lula, já é recorde. Nas ocorrências anteriores, segundo ele, apenas os líderes eram identificados. "Isso mostra que a própria Justiça já não considera que se trata de um movimento social, mas sim de invasores comuns." A reintegração de posse deve ser cumprida nesta sexta-feira. Se os sem-terra não deixarem o local de forma pacífica, terão de ser retirados pela Polícia Militar.

Agencia Estado,

19 Abril 2007 | 21h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.