Justiça decreta prisão e Rogério Tolentino se apresenta à PF

O ex-advogado de Marcos Valério deverá cumprir em Belo Horizonte a pena de 6 anos e 2 meses por corrupção ativa e lavagem de dinheiro, em regime semiaberto

Marcelo Portela, O Estado de S. Paulo

12 Dezembro 2013 | 20h52

Belo Horizonte - O advogado Rogério Lanza Toletino apresentou-se na noite desta quinta-feira, 12, à sede da Polícia Federal, em Belo Horizonte. Condenado a 6 anos e 2 meses por corrupção ativa e lavagem de dinheiro no processo do mensalão, ele teve sua prisão decretada nesta quinta pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. 

O advogado de Tolentino, Paulo Sérgio Abreu e Silva, disse que inicialmente a intenção de seu cliente era se entregar nesta sexta. Mas mudou de ideia após conversa com a delegada de plantão, que disse que quanto mais rápido ele se entregasse, mais cérele seria o envio de ofício com a solicitação de trabalho fora da prisão.

Por ter sido condenado a menos de 8 anos de prisão, Tolentino tem direito a cumprir pena em regime semiaberto. Silva afirmou ainda que pedirá para que seu cliente continue atuando no escritório de advocacia que mantém na Savassi, área nobre da capital mineira. "É a única coisa que ele faz", justificou.

Rogério Tolentino é amigo pessoal do empresário Marcos Valério Fernandes da Silva, que já cumpre pena no complexo da Papuda, em Brasília (DF). Ele trabalhava com o empresário no escritório em Belo Horizonte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.