Justiça decreta ilegalidade da greve da PM no Piauí

O juiz da 1ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública de Teresina, Sebastião Ribeiro Martins, decretou a ilegalidade da greve dos Policiais Militares e aplicou multa de R$ 5 mil por dia pelo descumprimento da decisão. Os policiais militares se uniram aos policiais civis e estão acampandos em frente ao Palácio de Karnak, sede do governo do Piauí. As duas categorias estão em greve e querem a aprovação do Plano de Cargos e Salários, pagamento do adicional por risco de vida e a mudança nos plantões dos militares. As mulheres dos militares engrossaram o movimento e prometeram fazer um panelaço para reivindicar direitos. O comando da Polícia Militar pode determinar a prisão de todos os militares, sem direito a habeas-corpus, que integram o movimento. O Exército infiltrou homens para monitorar a PM. Os homens do Exército já estão nas ruas e fazem policiamento ostensivo. A descoberta da infiltração de homens do Exército nas Polícias Civil e Militar revoltou os grevistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.