Justiça decide prorrogar prisão temporária de Marcos Valério

Réu no mensalão é acusado, desta vez, de articular esquema de corrupção, espionagem e fraudes fiscais

Fausto Macedo, de O Estado de S. Paulo,

14 de outubro de 2008 | 19h18

A Justiça Federal decidiu nesta terça-feira, 14, prorrogar por mais cinco dias a prisão temporária do publicitário Marcos Valério, um dos réus no mensalão. Desta vez, Valério é acusado de articular esquema de corrupção e espionagem. A PF está certa de que Valério é o líder da organização criminosa que a Operação Avalanche desmantelou - culminando com a prisão de mais 16 suspeitos. Valério foi capturado na última sexta-feira por ordem da juíza Paula Mantovani. O prazo para a custódia vence nesta segunda. A PF cogita ainda pedir a prisão preventiva do publicitário após análise de documentos e HDs.       Veja também: Marcos Valério nega tentativa de suborno de policiais Réu no mensalão, Marcos Valério é preso, agora por fraudes Os 40 do mensalão   A ordem para manter Valério na Custódia da Polícia Federal em São Paulo é da juíza Paula Mantovani Avelino, da 1ª Vara Criminal Federal. Ela acolheu representação do procurador da República Roberto Antonio Dassié Diana, que endossou relatório da PF e alertou para a "extrema e comprovada necessidade" da prisão de Valério. A medida é extensiva aos advogados Rogério Lanza Tolentino, sócio de Valério, e Eloá Leonor Veloso, que teria participado do plano de suborno dos delegados Antônio Vieira da Silva Hadano e Silvio Salazar, da PF de Santos, onde foi aberto o inquérito contra os fiscais.   Tolentino, Ildeu e Eloá são apontados como elos da trama de inquérito forjado contra fiscais da Fazenda estadual que autuaram em R$ 104 milhões a Cervejaria Petrópolis - cujo proprietário, Walter Faria, é amigo de Valério. Na casa de Eloá, em Belo Horizonte, os federais apreenderam R$ 700 mil em uma sacola no fundo falso de um armário de roupas.  Valério negou que tenha tentado subornar policiais federais para favorecer a Cervejaria Petrópolis   "É inquestionável que estamos frente à verdadeira organização criminosa. É certo que a ordem pública se vê ameaçada, uma vez que o Estado e a sociedade vêm sendo lesados diuturnamente por estes criminosos que fazem do ilícito seu modo de vida", informa o relatório de 300 páginas que a PF enviou à Justiça, acessado por advogados.   Valério foi monitorado durante três meses. Seus telefonemas interceptados e seus movimentos foram seguidos e filmados. Ao pedir sua prisão, a PF destacou pelo menos seis grampos, diálogos dele com Ildeu. "Os diálogos demonstram que a cadeia de comando, no que se refere à ordem de pagamento, partiu diretamente de Valério e Tolentino. É notória a capacidade de comando de Valério." Os acusados negam a prática de crimes.   Leia trechos do diálogo, segundo a PF 13 de junho de 2008, às 12h18Ildeu Pereira: Conversa com Edmar foi boa ontem.Marcos Valério: Excelente.Pereira: Eles gostaram?Valério: Muito.Pereira: Tá. Deixa eu te falar, eu tive com uns amigos lá, quarta-feira, tá saindo os convites. Não deu pra sair essa semana, não, tá? Agora é dinamite, entendeu?Valério:Tá certo.Pereira: Dinamite.Valério: E aquele assunto?Pereira: Eu passei aquele assunto pra eles fazerem um orçamento dos honorários deles. Então, semana que vem eles já nos dão os orçamentos dos honorários. E eu tô indo pra lá segunda-feira.Valério:Tá, mas eu não quero saber orçamento disso, não. Eu quero saber o que que é.Pereira: Não. Tô falando orçamento da família.Valério: E aquele outro que tá lá?Pereira: O outro eles vão lá segunda-feira, vão ver o tamanho do problema e os honorários, qual é o problema jurídico, a qual custo dos honorários advocatícios.Valério: Eu fiquei muito satisfeito.Pereira: Ele é bom de serviço, né. Ele é competente.8 de julho de 2008, às 15h18Pereira: Queria saber só a respeito de amanhã.Valério: Tá combinado. Por volta de duas horas aqui.Pereira: E deu tudo certo o recebimento da autoridade?Valério: Tá certo.9 de julho de 2008, às 14h23Valério: Tô na fábrica.Pereira: Tá. Eu tô indo praí, porque eu tenho um compromisso em São Paulo. Eu tô indo praí.6 de agosto de 2008, às 14h26Valério: Novidades?Pereira: Não. Eu liguei pros meus amigos lá, eles tão aguardando a procuração pra ir lá tirar xerox dos dois expedientes. Já conversaram com a autoridade lá, tá esperado a procuração pra tirar xerox. Quarta-feira entrega tudo, os dois.Valério: Mas resolve, né?Pereira: Resolve. Lá pra quarta-feira tem muita coisa. Eles fizeram a dica já, muita coisa. Então cê pega a procuração rápido e a gente manda.7 de agosto de 2008, às 18h15Pereira: O rapaz, ele tá meio cabrero, viu? Com os números. Ele precisa de contratar uma numeróloga pra ele.Valério: É... Eu prefiro conversar com você. Mas tá tudo certo.Pereira: Agora, ele tá muito feliz.Valério: Tá muito tranqüilo. Aí depois a gente vai se falar.Pereira: O escritório fez um trabalho jurídico muito bom pra ele, né?Valério: Fez. Vamos ver se a gente se fala amanhã de manhã. var keywords = "";    

Tudo o que sabemos sobre:
Marcos Valério

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.