Justiça de São Paulo reconhece Ustra como torturador

O coronel da reserva Carlos Alberto Brilhante Ustra foi reconhecido como torturador nesta terça-feira, 14, quando a 1ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), negou a apelação da defesa do ex-militar.

AE, Agência Estado

14 de agosto de 2012 | 16h45

A decisão é inédita no País, já que é a primeira vez que um tribunal superior reconhece a responsabilidade de um agente do Estado acusado de violar direitos humanos. Ustra comandou o Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi) de São Paulo durante o período da ditadura militar.

Apesar de mantido o reconhecimento de Ustra como torturador, ainda cabe recurso à decisão.

Tudo o que sabemos sobre:
Ustradefesaapelo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.