Joel Vargas/Prefeitura de Porto Alegre - 26/5/2017
Joel Vargas/Prefeitura de Porto Alegre - 26/5/2017

Justiça de Porto Alegre suspende processo de impeachment contra Marchezan

Juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital aceitou o argumento de que o rito para defesa do prefeito foi atropelado por vereadores na Comissão Processante

Lucas Rivas, especial para o Estadão, O Estado de S. Paulo

01 de setembro de 2020 | 14h45

PORTO ALEGRE - A Justiça de Porto Alegre suspendeu, liminarmente, nesta terça-feira, 1, a tramitação do processo de impeachment contra o prefeito Nelson Marchezan Junior (PSDB) na Câmara Municipal. No despacho, o juiz Cristiano Vilhalba Flores, da 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital,aceitou o argumento de que o rito para defesa de Marchezan foi atropelado pelos vereadores na Comissão Processante. 

Na sexta-feira, por dois votos a um, o colegiado deu seguimento à denúncia, fazendo com que o prefeito deva ser julgado politicamente, em plenário, pelos 36 vereadores.

Com a liminar, a tramitação do processo fica suspensa até o julgamento do mérito. Pela primeira vez na história, Porto Alegre abriu um pedido de afastamento contra um prefeito. Marchezan foi denunciado por supostamente ter alocado recursos do Fundo Municipal de Saúde para pagar gastos com publicidade. 

O tucano rebateu as acusações ao afirmar que os vereadores querem tirar ele do processo eleitoral. Marchezan vai disputar a reeleição pelo PSDB. A Comissão Processante pretendia definir o calendário para ouvir as testemunhas do processo.

Para Entender

Veja a situação dos pedidos de impeachment contra governadores

Processos contra Carlos Moisés (PSL-SC) e Wilson Witzel (PSC-RJ) são os mais avançados no País; entenda as investigações e lembre casos arquivados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.