Justiça de NY indicia Maluf por remessa ilegal de dinheiro

A promotoria de Nova York, nos EUA, anunciou nesta quinta-feira, 8, o indiciamento do deputado federal e ex-prefeito de São Paulo Paulo Maluf (PP-SP) por remessa ilegal de dinheiro.Segundo informação oficial do site da promotoria, Maluf é acusado de ter enviado US$ 11,6 milhões do Brasil para um banco americano. De lá, o valor teria sido distribuído para diversos paraísos fiscais, como a Ilha Jersey. De acordo com a promotoria, Maluf está com prisão decretada e não pode pisar em solo norte-americano ou viajar para países que têm acordo de extradição com os EUA sob o risco de ser preso. O promotor da Justiça americana Robert Morgenthau acredita que o dinheiro enviado por Maluf teria sido desviado de obras públicas da cidade de São Paulo, como as da Avenida Água Espraiada, e usado para financiar campanhas eleitorais e para despesas pessoais. Além do deputado, outras quatro pessoas envolvidas no caso também foram indiciadas pela Justiça de Nova York: Flávio Maluf, filho do ex-prefeito; Simeão Damasceno de Oliveira, diretor financeiro de uma construtora envolvida no esquema; Joel Guedes Fernandes, também tesoureiro de uma construtora; e Vivaldo Alves, doleiro. "Como prefeito de São Paulo, Paulo Maluf e seus cúmplices subtraíram os cofres da cidade e usaram Nova York como canal para transferir recursos roubados para offshore porque acreditou que não seria investigado. O indiciamento de hoje manda a seguinte mensagem: não permitiremos que Nova York seja usada para procedimentos ilegais", disse Morgenthau em nota oficial.Em nota distribuída nesta tarde, a assessoria de imprensa do ex-prefeito nega as acusações contra Maluf, informa que ele teve as contas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Município e diz que o indiciamento da promotoria permitirá que o agora deputado se defenda e prove que é inocente da acusações. Maluf já contratou um advogado americano para defendê-lo. Leia a íntegra da nota: As declarações da Promotoria Distrital de Nova York, formalizadas junto à Justiça, permitirão, finalmente, que Paulo Maluf possa se defender e provar que é inocente das acusações que lhe fazem. Maluf já contratou um advogado americano para defendê-lo. Paulo Maluf não tem e nunca teve conta bancária em Nova York. Todas as falsas acusações feitas contra Paulo Maluf jamais foram provadas e são fruto de perseguição política. Maluf saiu da Prefeitura de São Paulo em 1996, há 11 anos, foi considerado em pesquisa o melhor prefeito que a cidade já teve e suas contas foram aprovadas com louvor pelo Tribunal de Contas do Município. Assessoria de Imprensa de Paulo MalufTexto atualizado às 19h01

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.