Justiça de MS solta 13 acusados por corrupção, mas prefeito segue preso

Ari Artuzi, do PDT, assinou a folha de pagamento dos servidores de Dourados de dentro da cela

João Naves de Oliveira, especial para O Estado de S.Paulo,

03 de setembro de 2010 | 13h28

CAMPO GRANDE (MS) - Um grupo de 13 dos 28 presos por corrupção em Dourados esta semana, foi liberado nesta sexta-feira, 3, pela Justiça estadual. A decisão é da juíza da 1ª Vara Criminal, Dileta Terezinha de Souza Thomaz.

 

Entre os liberados estão seis vereadores, dos nove presos na quarta-feira, 1º. Paralelamente, o Ministério Público Estadual, solicitou a prisão preventiva de todos os vereadores, para evitar "prejuízos nas investigações".

 

O prefeito Ari Artuzi (PDT) e a esposa Maria, continuarão detidos até segunda-feira quando terminará o prazo da prisão temporária. Nesta sexta-feira, Artuzi assinou a folha de pagamento dos servidores municipais de Dourados, dentro da cela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.