Justiça de Campinas começa a ouvir 22 réus do caso Sanasa

Envolvidos no maior escândalo de corrupção da Prefeitura, entre eles o ex-vice prefeito e ex-primeira-dama, prestam depoimento sobre supostos fraudes em contratos

Ricardo Brandt, de O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2012 | 11h52

CAMPINAS - A Justiça começa a ouvir nesta sexta-feira, 23, os 22 réus do maior escândalo de corrupção da prefeitura de Campinas, o Caso Sanasa. O juiz Nélson Augusto Bernardes, da 3º Vara Criminal, começará a ouvir os depoimentos às 13h30.

 

O primeiro a depor será o delator do suposto esquema de corrupção e desvio de dinheiro público na Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa). Trata-se do ex-presidente do órgão Luiz Castrilon de Aquino. Devem ser ouvidos também o vice-prefeito cassado Demétrio Villagra (PT) e a ex-primeira-dama Rosely Santos - apontada como líder do esquema, que envolvia fraudes e cobrança de propina.

 

O esquema de corrupção na Sanasa foi deflagrado em operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em maio de 2011, quando 11 pessoas chegaram a ser presas. A Promotoria denunciou 22 pessoas entre funcionários públicos, empresários e lobistas.

 

O escândalo levou a cassação também de dois prefeitos, Hélio de Oliveira Santos (PDT), o Dr. Hélio, então no comando da cidade, e seu vice, Demétrio Vilagra (PT). A Comissão Processante da Câmara dos Vereadores, instalada à época para avaliar as denúncias, concluiu que Vilagra assumiu a prefeitura em sete oportunidades, e sabia das irregularidades.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.