Justiça da Suíça mostra depósito de US$ 154 milhões de Maluf

Em um único dia - 31 de março de 1995 -, uma conta do ex-prefeito Paulo Maluf na Suíça recebeu depósito de US$ 154,7 milhões. A informação consta do acervo de documentos bancários que o Tribunal de Genebra enviou há 2 meses ao Ministério Público de São Paulo e à Procuradoria da República que investigam Maluf em suposto esquema de corrupção, desvio de recursos de obras públicas, lavagem de capitais e remessa de valores para paraísos fiscais. O crédito de mais de US$ 150 milhões, como revela extrato bancário do Citibank de Genebra, foi lançado na conta 0/334018/393, aberta em nome da offshore Red Ruby Limited, empresa de fachada. A Red Ruby é sucessora da Blue Diamond, que Maluf registrou nas Ilhas Cayman, em julho de 1985. Entre os papéis que estão nas mãos dos promotores e procuradores está a ficha de abertura da conta da Red Ruby, da qual consta Maluf como único beneficiário direto. Os documentos revelam que 1995 foi o ano em que essa conta de Maluf movimentou maior volume de recursos - ele estava, então, no terceiro ano de seu mandato. O dinheiro, convertido em dólar, foi enviado para o Uruguai. Depois, migrou para uma conta em Nova York e chegou na Suíça. As autoridades financeiras de Berna comunicaram que, em janeiro de 1997 - pouco mais de uma semana depois de ter deixado o Palácio das Indústrias -, Maluf resgatou todos os ativos do Citibank. Os promotores constataram que os dólares de Maluf foram parar em conta no Citibank da Ilha de Jersey, no Canal da Mancha. Hoje, por meio de nota, a assessoria de Maluf insistiu que ele "não tem e nunca teve conta na Suíça".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.